No dia 21, às 15h, a palestra é do empreendedor Facundo Guerra, que virou empreendedor meio sem querer e hoje é reconhecido como um dos mais bem sucedidos empresários da noite paulistana. Tudo começou com o vegas, em 2005, um clube em meio do então decadente baixo Augusta e cujo sucesso valorizou a região, trazendo novos estabelecimentos. Daí nasceram os bares Volt e Z Carniceria. Depois, os clubes Lions, Yacht e o Cine Joia, uma casa de shows no bairro da liberdade.

Em 2013, veio o riviera: misto de clube de jazz, bar e restaurante aberto em sociedade com o chef Alex Atala. renascia ali um dos bares mais icônicos da cidade. Em 2015, nasceu o Pan Am, no topo do famoso hotel Maksoud Plaza, veio a transformação do Aeroanta em Z Carniceria – um misto de restaurante e casa de shows – e a restauração que devolveu aos paulistanos o Mirante 9 de Julho. Em 2016 começaram os trabalhos para transformar o subsolo do teatro municipal de São Paulo em um bar com música erudita ao vivo e a semente de um aplicativo que conecta músicos de rua foi plantada, além de novas parcerias que se desenharam, como com o empresário José Vitor Oliva.

Como ele faz isso? Segundo ele, não tem “business plan” ou qualquer outro “plan”. Filho de comunistas nascido na Argentina só quer saber de fazer acontecer seus muitos projetos, alguns no papel, outros em andamento. Vale a pena ouvir o que este empreendedor com métodos totalmente disruptivos tem a dizer.